Psol entra com recurso na PGR contra nomeação do presidente da Fundação Palmares

Psol protocolou uma representação na procuradoria-geral da República (PGR) nesta quarta-feira (27) solicitando a declaração de nulidade da nomeação de Sérgio Nascimento de Camargo como presidente da Fundação Palmares.

Camargo foi nomeado ontem pelo secretário especial de Cultura, Roberto Alvin, no lugar de Vanderlei Lourenço, e tem um extenso histórico de embates com o movimento negro. Dentre as polêmicas ditas por ele está uma publicação que afirma que “negro de esquerda é burro, é escravo”.

No documento apresentado à PGR, o Psol afirma que a nomeação de Camargo é “absolutamente antijurídica e contrária ao interesse público, uma vez que sua trajetória, historicamente, é radicalmente contrária aos interesses que a Fundação busca defender”.

O partido afirma que o “novo Presidente da Fundação Cultural Palmares é jornalista e militante de direita, marcado por atacar o Movimento Negro brasileiro, suas bandeiras e lideranças”, entre eles o ator Lázaro Ramos, a vereadora Marielle Franco e a filosofa e ativista Angela Davis.

“Diante de tais posicionamentos, resta evidente a incompatibilidade entre a trajetória e os valores do senhor SÉRGIO NASCIMENTO DE CAMARGO e aqueles valores que a lei determina que devem ser perseguidos pela Fundação Cultural Palmares”, afirma o partido.

Além da anulação da nomeação, o Psol pede que a PGR abra um procedimento para apurar a conduta do secretário executivo da Casa Civil, Fernando Wandscheer, que estava ocupando o cargo de ministro substituto e foi o responsável pela nomeação de Camargo. De acordo com o partido, Wandscheer frustou “o cumprimento dos deveres constitucionais conferidos ao Estado brasileiro para enfrentar o racismo institucional e estrutural e para promover políticas de promoção da igualdade racial”.

FONTE : CONGRESSO EM FOCO (UOL)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *