Raptur: linhas de circular não serão cortadas

Depois do comunicado de que algumas linhas seriam cortadas em razão do baixo movimento, ontem, dia 5 de junho, a assessoria de comunicação da Administração divulgou comunicado que não haverá suspensão de linhas de circular da Empresa Raptur em Garça.

“A Secretaria Municipal de Habitação e Mobilidade Urbana recebeu no último dia 24 de maio um ofício da empresa que tem a concessão pública para explorar a circular em Garça, a Raptur Transporte Coletivo Ltda-EPP. No ofício a empresa faz alguns esclarecimentos e comunica, unilateralmente, a interrupção de alguns horários relativos às linhas dos bairros Frei Aurélio e Araceli”, colocou a assessoria.

 “Na verdade nós recebemos uma informação, e não uma solicitação, do que a empresa iria adotar a suspensão de alguns horários da circular. Veio de uma forma apenas como informação. Inclusive já havia notícia de que o motorista da linha do bairro Frei Aurélio estava avisando os usuários que não teria mais o ônibus no horário do almoço. Nós estranhamos, mas com o informativo enviado pela empresa acabou se confirmando. Diante deste fato, e por ser um assunto extremamente delicado e que atinge diretamente a população, nós solicitamos o comparecimento de um representante da empresa, que ocorreu no dia 4, terça-feira. Quem veio à Secretaria foi o senhor José, que é um dos sócios da empresa”, coloca o secretário da pasta, Cássio Adônis de Santi Siqueira.

Segundo divulgado por ele, na oportunidade foi esclarecido por parte da Secretaria, que os procedimentos deveriam acontecer de outra forma, e não apenas com um comunicado.

Siqueira aponta que deveria haver um contato com a administração pública através da Secretaria para, em conjunto, buscar uma solução.

“Pela Prefeitura não está autorizado, em hipótese alguma, esta informação de cancelamento de horários. As linhas são mantidas através de concessão pública dos serviços e há cláusulas a serem respeitadas. Qualquer mudança tem que ser previamente conversada na Prefeitura e não tomar qualquer atitude unilateral”, frisou ele.

Em relação a uma das alegações no ofício enviado, o secretário coloca que “”Em dezembro de 2017, se não me falha a memória, houve um reajuste em razão de solicitação da empresa. Naquele momento não foi concedido o aumento pleno pedido, em razão que a Prefeitura condicionou que para o atendimento pleno da tarifa a empresa teria que apresentar um programa de melhoria dos serviços. O trabalho foi apresentado com seis rotas diferentes somente no começo de 2019. Independente disto, o Conselho Municipal de Trânsito já aprovou as novas rotas. Sobre o novo pedido de aumento de tarifas o Conselho sugeriu o encaminhamento para a Secretaria de Finanças e para o Gabinete do Prefeito para decisão final a respeito. Agora é uma questão de prazo para análise financeira. E esta ação é conhecimento da empresa”.

FONTE : GARÇA ON LINE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *