Saúde na Escola interage e leva informação a alunos da EE Alcir Raineri no Figueirinha

Iniciativa envolve a equipe da USF Primeiro de Maio e o Nasf

 

Médico, enfermeira e psicóloga da rede pública, engajados na prevenção a doenças, foram parar em sala de aula na zona norte de Marília. As lições abordam temas como automedicação, valorização da vida, prevenção a infecções sexualmente transmissíveis, entre outros. A interação aconteceu na Escola Estadual Alcir Raineri, no bairro Figueirinha.

O “aulão da saúde” faz parte do PSE (Programa Saúde na Escola) e atraiu a atenção dos adolescentes. São assuntos que estão em evidência e já fazem parte das conversas dos jovens, mas nem sempre abordados corretamente em sites e redes sociais.

“Houve muita interação e envolvimento dos alunos com os temas abordados”, disse a enfermeira Simone Brandão Santos, que iniciou a apresentação com uma atividade que recebe o nome de “Dinâmica da balada”, para abordar o tema ISTs (Infecções Sexualmente Transmissíveis).

A psicóloga Juliana Cristina Pelisson Lazarini “arrematou” com o tema Sexualidade. O alvo, conforme explicou a profissional de saúde, é o fortalecimento da importância do “amor próprio”, respeito e valorização das relações.

Em seguida, o médico Adriano Van Winkel fez uma apresentação sobre os efeitos nocivos da automedicação e demonstrou como esse comportamento tem gerado graves problemas à saúde pública (coletividade) e sofrimento às pessoas.

A interação terminou com a abordagem da psicóloga Juliana sobre a prevenção ao suicídio, um tema que também está em evidência na atualidade. “Os temas surgiram depois que realizamos reuniões com a equipe da escola para o levantamento dos assuntos mais relevantes aos alunos”, explicou Juliana.

Participaram da ação as equipes da USF (Unidade Saúde da Família) Primeiro de Maio e do Nasf (Núcleo de Apoio ao Programa Saúde da Família).

SAÚDE NA ESCOLA

O PSE foi instituído há 11 anos, em âmbito federal, por Decreto Presidencial. Nos municípios as ações são coordenadas pelas secretarias municipais de Saúde e Educação. A iniciativa parte do princípio que a escola é um espaço de relações favoráveis ao desenvolvimento do pensamento crítico.

A teoria é que a escola contribui para a construção de valores pessoais, conceitos e maneiras de conhecer o mundo, interferindo diretamente na produção social da saúde.

O programa prevê 12 ações, que vão da Saúde Bucal ao controle de vetores, passando por prevenção à obesidade, infecções sexualmente transmissíveis, saúde dos olhos, entre outros temas.

   

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *