Sem clube há 1 ano, mariliense sobrevive com a venda de “cheirinho” para carro

O mariliense Marcos Paulo Junior dos Santos Camargo, de 22 anos, conhecido como “Marcão”, é jogador de futebol, mas está sem clube há quase um ano (vai completar em dezembro).

Para se manter financeiramente e ainda manter o sonho de continuar sendo atleta profissional, o ex-zagueiro da base do Marília Atlético Clube (MAC) começou a vender “cheirinho” para carro pelo valor de R$ 10,00. A iniciativa acabou ‘viralizando’ nas redes sociais por conta de sua história e as vendas aumentaram.

“Não imaginei que ganharia toda essa repercussão. Eu postei o ‘cheirinho’ para carro mais como um desabafo e quando percebi vi muitas pessoas começaram a compartilhar essa publicação. Foram mais de 50 compartilhamentos e desde então várias pessoas fizeram pedidos. Algumas compraram para me ajudar, mas outros pediram pelo produto, que é muito bom”, garantiu Marcão. Até ontem, a publicação no Instagram tinha 284 curtidas e 121 comentários.

O mariliense mora no bairro Leonel de Moura Brizola (zona Norte) e faz de forma caseira, o ‘cheirinho’ para carros. “Eu mesmo faço os produtos. Compro os vidros, a base e a essência. Vendo pelas redes sociais e também em frente ao Nikkey Clube”, explicou. Marcos Paulo também é voluntário como professor de futebol em um campo no Jardim Renata.

“Recebo apenas ajuda de custo para ir até o campo. O local é uma espécie de ‘terrão’ e dou aula às segundas, terças e quintas, para crianças de 10 a 16 anos. Estou lá há quase um mês e ficarei até conseguir um clube para jogar”, declarou.

Carreira no futebol – Marcão é zagueiro e volante e jogou em praticamente todas as categorias de base do MAC. Atuou em edições do Campeonato Paulista Sub-15, 17 e 20 (duas vezes) e disputou a Copa São Paulo Junior de 2018, realizada na cidade. Na vitória sobre o Fluminense-RJ por 2 a 0, ainda na 1ª fase, ele marcou um dos gols. Logo após a Taça, ficou desempregado, somente treinando em um clube do Paraná.

No começo do ano passado, Marcos Paulo chegou a treinar com o elenco maqueano para a disputa do Paulista da 4ª Divisão (Sub-23), mas acabou dispensado por conta da vinda de reforços.

Porém, em novembro de 2019, foi contratado pelo Hienghène Sports, de um País chamado Nova Caledônia (arquipélago francês que abrange dezenas de ilhas no sul do Oceano Pacífico), da Oceania, para disputar o Mundial de Clubes da Fifa, já que sua agremiação havia sido campeã da Liga dos Campeões da Oceania.

Diante do Al Saad, do Qatar, comandado pelo ex-jogador do Barcelona, Iniesta, o Hienghène foi eliminado logo no primeiro jogo, pelas oitavas de final. O mariliense ficou no banco de reservas e não entrou na partida.

Seu vínculo se encerrou após a disputa da competição e não foi renovado. No começo deste ano chegou a ir para o Próspera-SC, mas nem chegou a jogar. “Treinei só por alguns dias, pois a pessoa que me contratou foi demitida do clube e eu também fui mandado embora”, lembrou.

Apesar das poucas oportunidades na carreira, Marcão ainda não desistiu de seguir carreira no futebol profissional. “Sei que ainda posso realizar meu sonho e continuarei insistindo. Acredito muito que terei uma nova chance, enquanto isso vou vendendo meu ‘cheirinho’ e dando aulas de futebol para crianças”, ressaltou. Os interessados no produto podem ligar no 99660-1747.

FONTE : JORNAL DA MANHÃ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *