Servidores da educação vão cruzar os braços por vacina e pela vida

Assembleia com profissionais da rede municipal de ensino de Marília decidiu fazer paralisação a partir de segunda-feira por vacina e ‘pela vida’

Servidores municipais que atuam na rede municipal de ensino de Marília decidiram em assembleia realizada na noite desta quinta-feira (04/03) pelo Sindimmar (Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Marília), fazer uma greve sanitária, pela vacinação e pela preservação da vida de todos os trabalhadores e da população. Eles questionam o fato de todo o Estado está na fase vermelha do Plano São Paulo, com vários órgãos restringindo atendimento, enquanto o plano de retomada do ensino de Marília foi mantido.

Assembleia realizada por meio de teleconferência, com o uso do Google Meet reuniu funcionários de diferentes áreas da rede municipal. Mobilização em torno da paralisação ocorre desde o dia 1º, que era a data inicial da manifestação e obteve a adesão da maioria dos servidores. “Se até o Tribunal de Justiça está restringindo o atendimento devido às restrições da fase vermelha, como é que vamos voltar às salas de aula, com
risco de contágio? ”, questionou uma professora.

Presidente do Sindimmar, José Paulino, ressaltou que a mobilização foi marcada por lives e outros encontros virtuais, de esclarecimento e orientação, sendo que a conclusão foi de que é um risco voltar às aulas. “Não podemos aceitar esse plano que foi definido ainda quando estávamos na fase amarela, que já era arriscado, para os trabalhadores em plena fase vermelha da pandemia”, ponderou Paulino.

A greve tem o objetivo de sensibilizar a administração municipal no sentido de providenciar a vacinação dos servidores da educação, providenciar condições seguras para a volta das atividades presenciais e garantir o direito à vida de todos os funcionários e da população.

A mobilização segue no sábado, com entrega de materiais no sistema drive-thru, realização de encontro via Google Meet com representante do departamento jurídico do Sindimmar, com esclarecimentos sobre o direito de greve e outras iniciativas. “Esperamos contar com a compreensão dos pais e mães dos alunos, uma vez que estamos lutando pela preservação da saúde e da vida de todos”, finalizou Paulino.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *