SESI MARÍLIA RECEBE A IV MOSTRA DE MÚSICA ERUDITA

Do tradicional ao contemporâneo, a IV Mostra SESI-SP de Música Erudita leva à capital e ao interior espetáculos repletos de encanto e emoção. O SESI Marília está entre as 16 unidades que sediarão as apresentações, entre elas: Wadaiko Sho, Orquestra Arte Barroca e Quarteto Villani. Os shows gratuitos acontecem do dia 23 a 25 de agosto, às 19h30. Além dos musicais, haverá, nos dias 23 e 24, às 15h, aula-concerto, também aberta à população. Os ingressos estão disponíveis para reserva no sistema Meu SESI, no site www.sesisp.org.br/meu-sesi.

Assim como outros projetos do SESI-SP, a Mostra vem com a proposta de difundir o gênero por todo o Estado de São Paulo e democratizar o acesso à cultura. A programação investe na diversidade da expressão artística para formar público para a música erudita. Durante as apresentações, há a oportunidade de aproximar a plateia dos artistas durante um bate-papo. Nele, os grupos compartilham as singularidades do gênero, o processo de composição e outros elementos sobre as obras, despertando, assim, o interesse até mesmo naqueles que não dominam o assunto.

Serão 100 apresentações gratuitas em todo o Estado, cujo objetivo é aproximar o público da música erudita, muitas vezes distante da população. Para isso, a mostra conta com os principais representantes do gênero no Brasil e no mundo, como o clássico tango argentino de Escalandrum, a modernidade da Família Lima e a sensibilidade para o piano do concertista Marcelo Bratke.

Confira a programação para Marília:

Wadaiko Sho – 23 de agosto, quinta, 19h30

Abertura Orquestrando SP – Orquestra da Escola SENAI João Martins Coube, de Bauru

Reconhecidos por disseminar a sonoridade dos tambores japoneses, o Wadaiko Sho tem essa arte como filosofia de vida. Muito além dos instrumentos de percussão, o Taiko representa os valores morais e a busca pelo aperfeiçoamento do ser. Neste show, o grupo comemora o aniversário da imigração japonesa com músicas tradicionais de seu país de origem, ressaltando, também, a influência da cultura brasileira.

A performance Tokinonagare percorre a trajetória do Taiko durante estes 110 anos da presença japonesa no Brasil. Desde os tempos de instrumento folclórico até o ritmo vibrante adquirido nas terras tropicais, mostram as diferentes formas que essa arte assumiu até aqui.

Série: A música pelo mundo, 60 min.

Musicos: Setsuo Kinoshita, Mitsue Iwamoto, Marcelo Tsutsui e Layla Watanabe

Aula-concerto – 23 de agosto, quinta, 15h – Antes da apresentação, toda a comunidade está convidada a participar de uma aula-concerto, um bate-papo que tem o objetivo de levar um panorama histórico e contextual sobre os diferentes gêneros musicais. A programação é didática e indica a importância de um novo diálogo entre músicos e plateia, uma conversa que, ao mesmo tempo em que os aproxima, seja capaz de levar um conteúdo informativo, gerar curiosidade e interesse.

Orquestra Arte Barroca – 24 de agosto, sexta, 19h30

Neste concerto repleto de pesquisa histórica e biográfica a ideia é levar ao público a atmosfera do período Barroco, seja por meio do repertório e sonoridade como pela exposição dos próprios instrumentos (violino barroco, guitarra barroca, teorba e cravo/espineta), réplicas dos utilizados na época. A Orquestra Arte Barroca tem como proposta interpretar o repertório orquestral dos séculos XVII e XVIII em três diferentes países: França, Inglaterra, Alemanha e Itália. Aspecto que revela características nacionais próprias, oriundas de tradições éticas e estéticas das diferentes burguesias, cuja influência cultural sucedeu as cortes cosmopolitas.

Série: A História da Música, 60 min.

Direção Artística: Paulo Henes | Produção executiva: Gilberto Chacur | Spalla: Paulo Henes | Violinos: Alceu Camilo, Beatriz Ribeiro e Alesi Souza | Viola: Mauro Rego Viana | Violoncelo: Tom Silva | Contrabaixo: Gilberto Chacur | Guitarra Barroca e Teorba: Rosimary Parra | Cravo e Espineta: Ailen Chrisostomo

 

Aula-concerto – 24 de agosto, sexta, 15h – Antes da apresentação, toda a comunidade está convidada a participar de uma aula-concerto, um bate-papo que tem o objetivo de levar um panorama histórico e contextual sobre os diferentes gêneros musicais. A programação é didática e indica a importância de um novo diálogo entre músicos e plateia, uma conversa que, ao mesmo tempo em que os aproxima, seja capaz de levar um conteúdo informativo, gerar curiosidade e interesse.

Quarteto Villani – 25 de agosto, sábado, 19h30

Abertura do Núcleo de Música SESI-SO – Camerata SESI-SP de Bauru

O Quarteto Villani tem seu nome gravado na história da música brasileira. Num cenário cheio de estrelas, poucos conseguem tal reconhecimento. O grupo é, antes de mais nada, fruto do diálogo entre a vertente camerística e os autores nacionais. Os artistas defendem a premissa de que se pode estabelecer uma conversa entre os sons, as harmonias e os ritmos genuínos do país com a sonoridade clássica ocidental e europeia. Postais Brasileiros é um projeto que contempla a técnica, inspiração e beleza da música de Edmundo Villani-Côrtes. No programa, Série Brasileira, Valsa das Rosas, Frevo Paulista, Royati e Cinco Miniaturas. Criadas especialmente para quatro instrumentos e consideradas de difícil execução – resultado de uma formação sofisticada –, as obras revelam encanto, lirismo e simplicidade. Um deleite para todos os ouvintes.

Série: Compositores Nacionais, 60 min.

Flauta transversal: Marcos André dos Santos | Violino: Cláudio Dias | Violoncelo: Boaz de Oliveira | Piano: Janaína Gargiulo

 

  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *