Sinais de atenção à saúde da mulher e da endometriose na quarentena

A pandemia causada pelo novo Coronavírus tem afetado a vida das pessoas ao redor do mundo de inúmeras maneiras. “Além de adaptações às novas rotinas, é preciso gerenciar as emoções, pois elas interferem diretamente em nossa saúde, inclusive da mulher acometida pela endometriose”, revela o Dr. Marcos Tcherniakovsky, ginecologista, especialista em endometriose e diretor de comunicação da Sociedade Brasileira de Endometriose.

O estresse é um dos fatores responsáveis pelo agravamento da doença, pois “baixa a imunidade do corpo e pode provocar alterações hormonais que refletem na endometriose”, revela o especialista. Um dos principais sintomas relacionados ao quadro de saúde da mulher portadora de endometriose é a dor intensa ao menstruar, chamada de dismenorréia; muitas destas mulheres podem sofrer de dor pélvica crônica, sangramento excessivo, além de alterações gastrointestinais e infertilidade.

“É importante o autoconhecimento das emoções e do próprio corpo, para identificar rapidamente o problema e agir. Ao perceber irritação e nervosismo frequentes, associados ou não a quadros de tristeza, observe os possíveis impactos no corpo. Caso haja piora nos sintomas, procure conversar com um médico especialista”, recomenda o Dr. Marcos.


Números do estresse e depressão

Pesquisas recentes da Fiocruz e Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) revelaram que o estresse aumentou em cerca de 50% dos brasileiros neste período de pandemia. Revelou também que as mulheres são as mais afetadas por estas emoções, em 20% a mais do que os homens. Quadros de depressão também dispararam cerca de 40%. 

Outro dado é que entre os temas mais buscados no Google, o termo “teste de estresse” aumentou 400% no último trimestre. Já a busca por sintomas de endometriose, como dor no pé da barriga e remédio para endometriose aumentaram 80%.

Segundo o médico, “este aumento pode ser interpretado como consequência da suspensão das consultas médicas, pois os atendimentos estavam dedicados às emergências; adaptação do próprio atendimento por telemedicina; além de quadros de dores que evoluíram. Assim, houve uma maior necessidade de informação a respeito da doença, por parte das pacientes”.

Como lidar com a endometriose em casa

Apesar deste cenário de pandemia, a adoção de hábitos saudáveis para manter a saúde da mente e do corpo pode ser uma estratégia de prevenção. Entre as recomendações, a prática de meditação, exercícios de alongamento, yoga e alimentação saudável se mostram úteis para quem se adapta às técnicas.

Há diversos relatos de que a meditação limpa a mente, acalma e proporciona bem-estar. Da mesma forma, a yoga promove relaxamento do corpo e também da mente, pois exige concentração na respiração durante a prática. A alimentação saudável mantém o corpo nutrido e fortalecido. “Essas indicações ajudam a amenizar os sintomas. Para aquelas que já utilizam medicamentos, é importante conversar com o médico especialista, mesmo que em uma consulta à distância, para verificar a necessidade de retomar”, avalia Dr. Marcos. 

A prática de exercícios também precisa ser cuidadosamente avaliada, para não correr o risco de problemas na execução. Dessa forma, caso não seja possível ter o acompanhamento de um orientador, é essencial uma boa pesquisa de aplicativos específicos, que fornecem dicas para práticas leves. A aeróbica, por exemplo, é uma excelente ferramenta de combate ao estresse, além de ajudar a manter o peso adequado e bom funcionamento do organismo.


Sobre a endometriose

A condição afeta cerca de 10 a 15 % de mulheres em idade fértil no mundo, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) e está relacionada a cerca de 30 a 50% dos casos de infertilidade. 

A endometriose, muitas vezes, é difícil de ser diagnosticada, pois muitas mulheres acreditam que é normal ter cólicas ou ter um longo período menstrual. Além disso, infelizmente, em muitos casos, as mulheres chegam a levar oito anos para receber um diagnóstico definitivo, depois de ter passado por cerca de quatro especialistas, por estes não questionarem a possibilidade da doença. Por isso, ao notar qualquer dos sintomas, é importante procurar um especialista em endometriose para o diagnóstico e orientação de tratamento.

Mais informações podem ser obtidas neste vídeo animado: https://www.instagram.com/tv/Bzf9hFiHzn4/

SOBRE O ESPECIALISTA

Dr. Marcos Tcherniakovsky – Ginecologista e Obstetra – Especialista em Endometriose e Vídeoendoscopia Ginecológica (Histeroscopia e Laparoscopia). Atualmente é Médico Responsável pelo Setor de Vídeo-Endoscopia Ginecológica e Endometriose da Faculdade de Medicina da Fundação do ABC. É Médico Responsável na Clínica Ginelife. Especialista em Ginecologia e Obstetrícia pela FEBRASGO e Diretor de Comunicação da Sociedade Brasileira de Endometriose. Membro da Comissão Nacional de Especialidades em Endometriose pela Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO) Instagram: @dr.marcostcher

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *