Vacinação contra o Sarampo tem Dia ‘D’ neste sábado; unidades estarão abertas até às 17h

Atendimento começa às 08h em toda a rede básica de Marília; objetivo é vacinar crianças a partir de seis meses e menos de cinco anos

Todas as unidades de saúde de Marília estarão abertas neste sábado, dia 19, das 08h às 17h, para o Dia “D” da Campanha Nacional de Vacinação Contra o Sarampo. São aguardadas crianças que já completaram seis meses e têm menos de cinco anos, mas ainda não tomaram as duas doses necessárias. É fundamental levar a caderneta de vacinação.

vacina1

Abertura oficial do dia da vacina será na UBS São Miguel, com a tradicional “festa da saúde”, com a presença de personagens infantis e outras atrações para as crianças. Nas demais unidades, as equipes também estão se mobilizando para criar atrativos.

O esforço de imunização acontece simultaneamente em todo o País. O calendário nacional de vacinação prevê a tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola) aos 12 meses. Noventa dias depois, as crianças precisam voltar ao posto de saúde para receber a tetraviral, que reforça prevenção às três doenças e protege também contra a varicela.

Por orientação do Ministério da Saúde, ainda está valendo a chamada “dose zero” para os bebês com menos de 12 meses e mais de seis meses. A dose não é contabilizada no calendário e passou a ser aplicada devido ao surto registrado esse ano no Brasil.

A enfermeira Renata Rodrigues Plácido, responsável pela Sala Central de Vacina da Secretaria Municipal da Saúde, explica que só existe contraindicação para bebês com menos de seis meses. Em caso de dúvida, o médico deve ser consultado.

“A recomendação para os pais e responsáveis por crianças nessa faixa etária (menos de seis meses) é evitar exposição a aglomerações, manter higienização e ventilação adequadas de ambientes e, principalmente, procurar imediatamente um serviço de saúde ao qualquer sintoma da doença, como manchas vermelhas pelo corpo, febre, coriza, conjuntivite, manchas brancas na mucosa bucal”, alertou Renata.

SAÚDE EM REDE

O secretário municipal da Saúde, Ricardo Mustafá, lembra que campanhas como esta exigem grande mobilização. São esforços concentrados, para atingir maior número de pessoas. Ele alerta pais e responsáveis para valorizarem a oportunidade.

“É um dia em que muita gente está de folga, pelo menos uma pessoa da família, geralmente, tem um pouco mais de tempo. Acreditamos que teremos um excelente resultado e vamos atrair, principalmente, aquelas pessoas que não tem conseguido ir às unidades de saúde durante a semana”, destacou.

A campanha prosseguirá na próxima semana e terá, inclusive, imunização dos adultos (com idades entre 20 e 29 anos) a partir do dia 18 de novembro. A força tarefa termina no dia 30 de novembro, com abertura dos postos no sábado, em “novo Dia D”, na última data.

SARAMPO MATA

Boletim epidemiológico, divulgado com transparência pelo município, aponta que em 2019 foi registrado um total de 12 casos de sarampo, sendo três importados.

Renata Plácido explica que, em geral, não é necessário aguardar nenhuma Campanha de Vacinação. Estas ações são feitas justamente para reforçar na população o compromisso com a saúde. Porém, acima de campanha, o calendário vacinal deve ser seguido.

A DOENÇA

A doença tem fácil transmissibilidade e pode se espalhar rapidamente, devido à circulação de pessoas. Embora a zona oeste tenha registado o maior número de casos, não há, atualmente, locais considerados mais susceptíveis na cidade.

vacina

Os casos confirmados, segundo o boletim, foram nos bairros: Damasco (zona sul), Chico Mendes, Jardim Marília, Argolo Ferrão, Vila Coimbra e Chácara Eliana (oeste), Tropical (leste) e Jardim Renata, Industrial, Castelo Branco, Jânio Quadros e Santa Antonieta (norte).

Ainda conforme o boletim, já foram descartados 37 casos da doença na cidade. As investigações envolveram suspeitas nos bairros Alto Cafezal e Bandeirantes (oeste), Vila Real (zona sul), Altaneira (leste), JK, Santa Antonieta e Santa Antonieta III (norte).

INDICAÇÃO

Quem tem entre um ano e 29 anos deve ter duas doses da vacina contra o sarampo anotadas na caderneta. Acima desta faixa (e até 59 anos) é preciso ter pelo menos uma dose.

Não há indicação para pessoas com mais de 60 anos, pois esse público potencialmente teve contato com o vírus, no passado. Quem tiver dúvidas quanto à imunização adequada deve procurar um posto, com a carteira vacinal em mãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *