Volta às aulas após curtas férias de verão em meio à pandemia

Escolas em todo o Japão reabriram na segunda-feira (17) após as férias de verão que foram encurtadas para permitir que os alunos recuperassem as aulas perdidas devido ao fechamento anterior causado pela pandemia do coronavírus.

O intervalo mais curto decidido pelas autoridades municipais foi de apenas nove dias. Normalmente, os alunos japoneses tiram mais de um mês de férias de verão.

As crianças, usando máscaras começaram a chegar à Escola Primária Ushioda em Yokohama. “Não consegui me divertir na piscina por causa do coronavírus”, disse Naoya Hirasawa, 12 anos.

As escolas são obrigadas a seguir as medidas para reduzir o risco de exaustão pelo calor e também na prevenção de infecções por coronavírus. As temperaturas aumentaram rapidamente nos últimos dias, com os termômetros atingindo 35° C ou mais em muitos locais.

Na cidade de Nagoya, os alunos da Shimizu Elementary School sentaram-se em cadeiras separadas e compareceram na reunião da escola em suas salas de aula para evitar aglomeração, com o diretor, Tomio Suzuki, falando com eles através do sistema de som da escola.

“Vamos fazer o nosso melhor para dizer que todos nós sobrevivemos, apesar do novo coronavírus e do calor”, disse ele.

Nas salas de aula, as janelas eram deixadas abertas para ventilação enquanto o ar condicionado também estava funcionando. Uma professora disse aos alunos que, para evitar a exaustão pelo calor, eles podem tirar as máscaras desde que mantenham o distanciamento social.

Sala de aula de uma escola primária em Ogaki, na província de Gifu. (Kyodo)

A Sone Elementary School em Takasago, província de Hyogo, teve apenas nove dias de férias. “Não tirei muitos dias de férias de verão, mas estou feliz em ver meus amigos”, disse Suzaku Fujiwara, de 11 anos.

Dos 1.794 conselhos de educação locais em todo o país que fecharam escolas de ensino fundamental e médio devido à pandemia, 1.710 conselhos disseram em 23 de junho que planejavam encurtar as férias de verão, de acordo com o ministério da educação do Japão.

FONTE : IPC DIGITAL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *